Notícias

Mulher ao volante é sinônimo de atenção e segurança

Mulher ao volante é sinônimo de atenção e segurança

Quantas mulheres motoristas de ônibus você já viu? Dá para apostar que a quantidade não chega aos cinco dedos de uma mão. Porém, apesar de raros os casos, eles existem. Ou melhor, elas. Simoni Batista da Silva, de 35 anos, é uma dessas profissionais. Motorista da Viação União Santa Cruz, ela conta que o interesse pela profissão surgiu por influência do esposo. “A vontade veio a partir do meu marido, porque ele é motorista da Saúde de Passa Sete. Fiquei com vontade de fazer a carteira, mas não tinha ideia de que iria trabalhar com isso. Depois montamos uma empresa de ônibus e passamos a trabalhar com isso”, relata.
Simoni é natural de Sobradinho, mas reside no município de Passa Sete. Atualmente, ela conduz o ônibus que faz a linha Arroio do Tigre - Santa Cruz, e vice-versa. No veículo, ela é responsável por levar estudantes para a Universidade de Santa Cruz do Sul (Unisc) e demais passageiros. Apesar de já ter experiência no volante de ônibus há mais de seis anos, ela conta que ainda percebe olhares desconfiados. “Tinha e tem um certo preconceito. Muita gente entra na porta e acha estranho ser uma mulher. Se desse para trocar de ônibus, trocariam. Acho que enquanto não existir várias mulheres nessa função, ainda vai ter esse preconceito”, completa.
Mas nem só de muita coragem é feita a trajetória de Simoni. Logo que começou a atuar na área, sentia muito “frio na barriga”. “Muitos colegas me ajudaram e deu certo.” Depois disso, conheceu e dirigiu até muitas cidades, como Porto Alegre. Mas a capital gaúcha era bastante temida por Simoni. “Fui até lá levar o pessoal da Saúde de municípios da região. E eu estava gestante, quase ganhando as gurias.” As gurias às quais a motorista se refere são as duas filhas mais novas. Mesmo com o barrigão, ela continuou dirigindo e ganhou as duas pouco depois de encerrar o expediente. A motorista é mãe de quatro crianças. Cirineu Eduardo, de 9 anos, Stefany Karoliny, de 6 anos, Alice Isabela, de 3 anos, e Simony Eduarda, de um 1 ano e 6 meses.
Segundo Simoni, ser motorista é mais que um trabalho. “Eu gosto muito, não consigo ficar sem dirigir.” Contratada pela Viação União Santa Cruz há pouco tempo, ela acrescenta que trabalhar no local era um sonho. “E hoje estou realizando esse sonho, tomara que dê certo”, finaliza.

Texto produzido pela jornalista Caroline Garske para o jornal Gazeta do Sul.
Foto: Albus Produtora

Leia mais notícias

17 MAR

Confira informações da feira e horários para você aproveitar a 21ª Expoagro.

30 NOV

Passageiros de ônibus da Viação União Santa Cruz podem embarcar agora usando apenas o smartphone. Novidade chegou primeiro para os embarques em Por...